O flow como montanha

É com esse tipo de coisa que a gente lida no Estaleiro Liberdade... A imagem me chegou hoje cedo no nosso grupo de Whats. Eu estava em casa, como estou agora, não havia ido para o círculo desta quarta.

O círculo é um encontro semanal, de três horas. Aberto, radicalmente aberto. Sem pauta, sem planejamento algum, puro ambiente seguro para emergir o que tiver de emergir (ou não, e tá tudo bem) das piras dos marujos (nós que participamos) e dos piratas (que nos guiam).

E por que eu não fui? Porque, ‪#‎humpf‬, sou uma assídua frequentadora desse primeiro quadrante aí. Sou. Pode não parecer, mas quem tá no meu dia a dia mais de perto sabe...

Não conhecia esses 4 estados do ser. E hoje me foi de algum alento saber que seguirei a caminhar o meu caminho (que é sobre o que esta vida é, não?), tendo o "flow" como norte, como montanha, como utopia.