Dois elefantes brancos incomodam... =/

Quem lembra do elefante branco que postei outro dia?? Da nota de R$ 5 que encontrei na rua quando, pouco antes, caminhava e pensava com meus botõezinhos sobre ter de começar a olhar de frente minhas questões com grana?? E me ocorreu que bem que eu podia passar a achar dinheiro na rua?!...

Pois então, agorinha há pouco, vinha eu caminhando e pensando sobre meu outro elefante branco (como se já não fosse pouco pesado ter de lidar com um elefante, universo!): ter ou não ter alguém partilhando a jornada que é a vida, um alguém que coincida de a gente se querer, um alguém pra ser eterno enquanto durar, um alguém pra ser o que tiver de ser. Ou não.

Ou não porque, caminhava e pensava eu: "E se simplesmente eu for o tipo de pessoa que não veio aqui para isso? Que veio para ser sozinha, pronto, e tá tudo bem? E se eu for? Pode ser que eu seja. É, pode ser! Então, relaxa de ficar pensando sobre isso, Denize, é só o seu relógio biológico que resolveu apitar. Vai vivendo a vida, de frente, e a gente vai descobrir, ok?". Ok, boa!

Daí, pãaaaaaaan! Estou eu esperando para atravessar a rua, olho para o chão, um cartão vermelho me chama a atenção (este que vos aparece aqui), leio o que ele diz e, pãaaaaaaan!! (Ah, meu, sério? Não podia ser um cartão de carreto, sei lá?!)

Universo, por favor, da(s) próxima(s) vez(es), tem como colocar meu nome (e é com "Z" =)) em neon e piscando para eu ter certeza da comunicação?!... Se sim, ficarei muuuito agradecida. Se não, bom, não custava eu te pedir...

Agora, poxa, dois, dois!, elefantes de uma vez?? Isso incomoda =/ Ok, eu tive minha vida inteirinha para vir lidando com essas questões. Eu sei. E posso passar o restante dela sem lidar, há! Tá bom:... ou posso começar a lidar a partir de agora. De frente.

Música que ficou no repeat enquanto eu escrevia: